Amazon cria exército de robôs de entrega

Atualizado: 17 de ago. de 2021


Reprodução da matéria de Piero Franceschi publicada AQUI!


Enquanto você curtia sua pacata vida de um terráqueo em 2021, uma patente registrada pela Amazon tornou-se pública nessa última semana. Imagine essa cena:

Um pequeno caminhão encosta na rua de sua casa. Ele fica parado lá por alguns instantes em que nada parece acontecer. De repente sua porta traseira começa a baixar e se torna uma rampa. Um zumbido motorizado se intensifica e diversos micro-carros robôs começam a descer se espalhando pela rua em várias direções.

Rapidamente, um deles se aproxima de você, buscando contato. Você então abaixa pega seu pacote de fraldas e quando olha ao lado, o seu vizinho de porta está fazendo o mesmo com algo que parece ser um livro.

Num instante, como se seguindo um controle central, todos os mini-carros robôs voltam rapidamente para a sua nave-mãe. O caminhão então fecha suas portas e segue para uma próxima rua. Lá dentro, os robôs automaticamente se reabastecem para a invasão na rua seguinte. Quanto mais a tecnologia avança, mais a barreira entre a ciência e a ficção-científica parece apenas temporal.


Assustador ou eficiente?


Uma tecnologia como essa visa ampliar a eficiência operacional. Entregas automatizadas custam hipoteticamente menos principalmente porque são mais rápidas e precisam de menos pessoas para realizá-las. A Amazon emprega hoje mais de 700 mil pessoas mundialmente e uma parte importante de seu custo vem da operação logística. Pode-se afirmar então que postos de trabalho seriam cortados pela adoção dessa tecnologia.

De ponto de vista amplo, esse impacto em pessoas não difere muito do que acontece desde sempre com a automatização da indústria. Novas tecnologias impactam postos de trabalho.

Porém, o que será interessante notar nesse movimento é o histórico da Amazon. A empresa tem um modelo de gestão e um tipo de investidor acostumados com margens apertadas e com re-investimento intensivo de caixa em inovações. Portanto, é muito provável que o dinheiro economizado de um lado, seja investido em mais "invenções" (nas palavras do fundador Jeff Bezos) do outro. Com isso, há o potencial de que sejam provocados novos ciclos virtuosos positivos, criando novos negócios e gerando vejam só, novos postos de trabalho. Em outros (novos) lugares da empresa. É o que chamamos de Ambidestria.

A Amazon já fez isso diversas vezes e tende a fazer de novo. Não é a toa que hoje tem tantas unidades de negócio diferentes do que apenas um e-commerce.

Se esses mini-carros robôs vão efetivamente existir, só o tempo dirá. Pode ser também que a transformação não aconteça por meio desses veículos terrestres mas sim por drones, como vem sendo profetizado há tempos. Mas com certeza, temos várias barreiras para isso acontecer.

O fato é que enquanto nós estamos nos acostumando com a tecnologia que existe, novas fronteiras estão sendo construídas.

E que seja eterno enquanto dure...

6 visualizações0 comentário