ANS insere nova máquina de Hemodiafiltração no rol e clínicas dão salto de qualidade


A Nefrologia brasileira ganhou destaque esse ano com a inclusão de uma nova terapia para uma parte dos pacientes dialíticos no rol da Agência Nacional de Saúde (ANS) dos procedimentos de cobertura obrigatória pelos planos de saúde: a hemodiafiltração online de alto volume. A terapia é feita numa avançada máquina de diálise desenvolvida e trazida pela multinacional alemã Fresenius Medical Care ao Brasil. E várias clínicas do país estão aderindo, muitas até se tornando premiuns, com 100% de suas máquinas de diálise com hemodiafiltração.

E os avanços vão além. Hoje, as máquinas de tratamento podem ficar interligadas a softwares inteligentes, que contém diversos dados clínicos e terapêuticos de cada paciente, evitando erros de digitação nas telas na hora da diálise e facilitando o trabalho dos profissionais de saúde. O NephroSys, por exemplo, desenvolvido por uma startup de saúde brasileira adquirida pela Fresenius em 2019, é um sistema que contém o histórico do tratamento completo do paciente. Nesse sistema também ficam os dados de gestão e controle das clínicas.

Já o TDMS (Therapy Data Management System) realiza o gerenciamento e monitoramento dos dados da terapia em tempo real, direto nas máquinas de diálise, durante a terapia do paciente. O sistema monitora pressão arterial e venosa, volume de sangue, batimentos cardíacos, fluxo efetivo de sangue, Kt/V (número usado para quantificar a adequação do tratamento), clearance do dialisador, entre outros dados. Qualquer alteração fora dos parâmetros previstos, o sistema avisa em tela, a máquina soa o alarme e o enfermeiro faz os ajustes necessários.

E esses dados dos sistemas armazenados em rede ou em nuvem são sincronizados, permitindo atualizações permanentes. Até mesmo as balanças são interligadas e delas já são computados peso pré e pós diálise automaticamente para o sistema. Isso é possível graças a um cartão personalizado que cada paciente utiliza.

Usuária do sistema, a diretora de Enfermagem Isabel Cristina Corso, da clínica Nefroclinica Clínica De Doenças Renais, em Caxias do Sul, reforça a importância para tratar os pacientes e também na gestão organizacional. “Se muda a legislação, já entram as modificações. Hoje, o sistema já é muito atualizado. Todas as estatísticas já atendem às regulamentações. É tudo muito ágil e dinâmico. A automação em todas as etapas, no faturamento, nos relatórios e controles traz um salto de qualidade enorme. A segurança com relação ao que tínhamos antes é incomparável”.

“Desde o início em nossa clínica, optamos pelo prontuário eletrônico NephroSys. Os conteúdos permitem ótimo controle do ponto de vista logístico e administrativo. Facilita melhor compreensão dos dados. Oferece um gerenciamento mais seguro. E com o TDMS integrado, passamos a ter ganhos de eficiência, tempo, custo e qualidade no atendimento aos pacientes e prestadores de serviços”, afirma o Dr. Gilson Fernandes Ruivo, diretor da Clínica Santa Clara, em Pindamonhagaba.

11 visualizações0 comentário