Reconhecimento facial ganha mercado e deve faturar R$ 21 bilhões entre 2021 e 2022


Como a higiene sanitária pode estar atrelada diretamente à demanda global por sistemas de reconhecimento facial? Um relatório apresentado pela Allied Market Research, organização norte-americana que busca compreender a aplicação de novas tecnologias no cotidiano, esclarece e certifica a resposta para tal dúvida. Conforme o documento, este tipo de tecnologia permite a extinção do contato para acessibilidade de sistemas digitais, usando apenas a captação da imagem da face como chave de acesso. Num momento de pandemia, quando as pessoas sequer se abraçavam, tocar telas, digitar senhas e qualquer outro tipo de contato físico tornou-se antiquado e, por segurança, o mundo precisou se atualizar.

Durante o momento de distanciamento, as empresas produtoras de tecnologia de reconhecimento facial perceberam um mercado promissor. Se para alguns essa realidade era remota e até roteiro de filmes de Hollywood, para outros foi uma oportunidade assertiva de negócios presentes em um gargalo que acompanha o futuro tecnológico. Longe da ficção, ainda segundo o relatório da Allied Market Research, a demanda global por este serviço a ponto de movimentar US$ 3,78 bilhões, ou cerca de R$ 21 bilhões, apenas em 2020.

Em Belo Horizonte (MG), um exemplo de empresa que conseguiu fomentar seu posicionamento foi a Most Specialist Technologies. Presente no mercado desde o ano de 2000, a empresa atua provendo soluções de captura e dados de imagens, por meio de tecnologias de inteligência artificial, como prova de vida, biometria facial e assinaturas digitais. “A Most é uma empresa provedora de soluções para automatizar processos cadastrais que utilizam documentos. Por meio de técnicas de inteligência artificial, nós disponibilizamos APIs para apoiar a entrada do relacionamento, realizar antifraude e fornecer soluções de assinatura eletrônica e digital com o objetivo de levar tecnologia e inteligência operacional para as grandes e médias empresas. Todo este nosso contexto de produtos e serviços de fato atendeu bem à demanda que aumentou ao longo da pandemia”, esclarece a diretora comercial e de marketing, Maria Cristina Diez.

Exemplos como o Most Specialist Technologies somente certificam que este cenário veio para ficar. Outro ponto concordante quanto a permanência da tecnologia no mundo vem novamente da pesquisa desenvolvida pela Allied Market Research, a qual tem projeções mais otimistas para 2021 e 2022, calculando a possibilidade de um faturamento na casa de US$ 9,6 bilhões em todo o mundo, o que deve ficar em torno de R$ 53 bilhões.

Mas o que são sistemas de reconhecimento facial?

Maria Cristina Diez esclarece que se trata de uma forma de identificar ou confirmar a identidade de uma pessoa usando apenas o rosto. “Nós introduzimos o reconhecimento facial em uma categoria de segurança biométrica, possibilitada por sistemas especializados para o reconhecimento de traços ou pontos dos rostos. Em muitas vezes, a tecnologia é usada para segurança, para proteção de dados, acesso a espaços, pagamentos, entre outros”, explica.

Tomando o reconhecimento facial como base, são muitos os tipos de produtos e serviços desenvolvidos a partir deste princípio. O que eles têm em comum, além obviamente do registro facial, é a promoção de maior segurança e validação de informações para que tanto o usuário quanto o desenvolvedor possam ser assegurados da possibilidade de fraudes.

“Muitas pessoas estão familiarizadas com a tecnologia de reconhecimento graças ao Face ID, que é uma forma de desbloqueio de aparelhos celulares, mas ele é muito mais que isto. Além de desbloquear telefones, o reconhecimento facial funciona fazendo a correspondência entre os rostos de pessoas com a foto de um documento de identificação, por exemplo”, explica a especialista.

3 visualizações0 comentário